Gostou do artigo? Compartilhe!

Fatores que causam o mau funcionamento de uma rede

A+ A- Alterar tamanho da letra
Avalie este artigo

Confira abaixo os principais fatores causadores do mau funcionamento de computadores em rede.

Cabeamento mal feito ou danificado

Cabeamentos antigos ou mal feitos podem resultar em má qualidade da conexão. Problemas nos conectores, oxidação das peças, cabos destruídos por ficarem dobrados ou pressionados contra um móvel, por exemplo, comprometem a estabilidade e velocidade de conexão.

Equipamentos de rede de má qualidade

Ao optar por um modem, roteador, switch, hub ou outro aparelho de infraestrutura de rede para usar no seu ambiente profissional, tenha em mente que a qualidade deste equipamento irá influenciar na estabilidade e velocidade de conexão.

Há aparelhos feitos para suportar múltiplas conexões simultâneas, ao passo que roteadores simples (como os que são instalados pelas provedoras de internet) podem travar quando muitos dispositivos estão conectados, exigindo reinicializações frequentes.

No caso do uso não recomendado de rede Wi-Fi na rede interna no consultório, tenha em mente que esta estrutura reduz a velocidade de conexão, é consideravelmente menos estável e oferece limitações no alcance da rede, dependedo da localização e presença de obstáculos entre o roteador e o computador.
Por isso a Centralx® recomenda veementemente o uso da rede cabeada para tráfego de dados clínicos entre usuários da rede interna.

Veja também: Recomendações sobre o uso de internet em consultórios

Computadores antigos

Veja o artigo completo: Configurações recomendadas para uso do HiDoctor

Computadores mais antigos podem fazer uso de um hardware de rede defasado, o que impacta na velocidade de conexão. Uma placa1 de rede antiga pode limitar sua velocidade, mesmo que você possua um plano de internet de altíssima velocidade e um cabeamento bem realizado.

Além disso, um computador antigo causa demoras na transferência e processamento de dados, seja por desatualização do sistema operacional ou por uso de componentes antigos, como processadores obsoletos, memória RAM insatisfatória ou disco rígido deteriorado e com lentidão na gravação dos dados.

Falta de manutenção dos softwares

A atualização do sistema operacional (como Windows) e dos softwares de produtividade é essencial para manter o bom funcionamento do computador e a sua produtividade. Isto porque desenvolvedores lançam versões com correções de erros e vulnerabilidades do sistema que podem colocar seu equipamento em risco.

Por mais inoportuna que possa parecer a solicitação de atualização do Windows, não atrase o processo, correndo o risco de expor seus dados a invasões e ataques.

É importante que você tenha aplicativos de segurança (antivirus, firewall, antispyware, etc) instalados e atualizados em todos os computadores do consultório. Um único computador desprotegido pode contaminar toda a rede de computadores.

Quedas de energia

Quedas frequentes de energia geram avarias nos componentes elétricos, podendo reduzir sua performance ou mesmo inutilizar completamente o equipamento.

É recomendada a utilização de um nobreak para proteger o computador no caso de quedas de energia, poupando-o das descargas elétricas e permitindo que você execute um desligamento seguro.

Além do computador, você pode proteger também o roteador e outros equipamentos que podem ser danificados com a descarga. Mas lembre-se que cada aparelho a mais ligado no nobreak significa menor autonomia de bateria no caso de queda.

Complementos

1 Placa: 1. Lesão achatada, semelhante à pápula, mas com diâmetro superior a um centímetro. 2. Folha de material resistente (metal, vidro, plástico etc.), mais ou menos espessa. 3. Objeto com formato de tabuleta, geralmente de bronze, mármore ou granito, com inscrição comemorativa ou indicativa. 4. Chapa que serve de suporte a um aparelho de iluminação que se fixa em uma superfície vertical ou sobre uma peça de mobiliário, etc. 5. Placa de metal que, colocada na dianteira e na traseira de um veículo automotor, registra o número de licenciamento do veículo. 6. Chapa que, emitida pela administração pública, representa sinal oficial de concessão de certas licenças e autorizações. 7. Lâmina metálica, polida, usualmente como forma em processos de gravura. 8. Área ou zona que difere do resto de uma superfície, ordinariamente pela cor. 9. Mancha mais ou menos espessa na pele, como resultado de doença, escoriação, etc. 10. Em anatomia geral, estrutura ou órgão chato e em forma de placa, como uma escama ou lamela. 11. Em informática, suporte plano, retangular, de fibra de vidro, em que se gravam chips e outros componentes eletrônicos do computador. 12. Em odontologia, camada aderente de bactérias que se forma nos dentes.